Calor Pede: Table & Session Beers

Estamos no verão, diferentemente do que o resto do país pensa, o Rio Grande do Sul é muito quente! Naturalmente buscamos pratos e bebidas mais leves nesta época do ano, pois não precisamos de tantas calorias e precisamos nos refrescar!
Entretanto, refrescância não precisa ser sinônimo de simplicidade de aromas e sabores. Para isso existem as Table e Session Beers.

Mas o que são?
Historicamente, legislação e tributação sobre bebidas alcoólicas foram as principais forças por trás do desenvolvimento dos estilos de cerveja britânicos, juntamente com os avanços tecnológicos.  Assim surgiram as Table Beers, uma classificação fiscal,
utilizada para cervejas inglesas com 2,75% a 4% de álcool por volume (ABV). No século XVIII, haviam três classes de impostos na Inglaterra (em ordem decrescente de força): Strong, Table e Small. A definição dessas classes era baseada no preço de venda no atacado. Qualquer cerveja que custasse até 6 xelins no barril era considerada Small e taxada em 1 xelim e quatro pence. Entre 6 e 11 xelins era considerada Table Beer, taxadas em 3 xelins. E custando mais de 11 xelins o barril era considerada Strong e taxada em 8 xelins. Oficialmente, a classificação Table Beer desapareceu em 1830, quando o imposto foi transferido da cerveja acabada para os insumos, como o malte e lúpulo. Já na Bélgica e na França as Table Beers eram cervejas para toda a família, crianças
inclusive. Na Europa medieval, estas cervejas geralmente continham menos 1% de ABV. As Biere de table variavam muito em coloração, eram feitas com trigo e tinham sabor que remetia a pão. Possuíam uma leve carbonatação, mas muitas vezes eram
flat (sem espuma e sensação frisante na boca).

No decorrer da história, com a influência norte-americana no mundo cervejeiro, surgiram as Session Beers, que nada mais são que estilos de cerveja com potência reduzida, ou seja, o teor alcoólico é inferior ao descrito nas diretrizes de estilo clássico. O objetivo é ter equilíbrio entre o caráter do estilo e o menor ABV. Este tipo de cerveja não deve exceder os 5% de ABV e deve ter um alto drinkability. No mercado brasileiro temos percebido alguma inserção de Session Beers, normalmente Session IPAs (India Pale Ales), estilo já bem reconhecido e aceito pelo público consumidor de cervejas artesanais. Entretanto, a cultura das cervejas menos potentes ainda é muito recente e a gama de possibiliades é grande.

A cerveja apresentada hoje é uma Table Beer que tem uma APA (American Pale Ale) como base: A Table Sous la Mer, da novíssima cervejaria Narcose, de Capão da Canoa. Possui 3,2% de ABV e tem um corpo bastante leve e seco. Possui uma base de malte que apresenta uma sutil tosta, que nos remete a biscoito cream cracker e uma lupulagem americana delicada mas presente, que traz mais refrescância para esta cerveja. Ela é vendida em lata de 355 mL, o que facilita levá-la para a praia e beber comendo um queijo coalho. Os lúpulos da cerveja ajudam a quebrar a gordura do queijo.