Queijos e Cervejas: Harmonizações no Borges Queijos Artesanais

item

Esse breve texto é inspirado e tem como base o livro “A mesa do mestre-cervejeiro – Descobrindo os prazeres das cervejas e das comidas verdadeiras” de Garrett Oliver. Oliver é o mestre cervejeiro da cervejaria Brooklyn, nos Estados Unidos, uma das mais clássicas existentes no país. No livro em questão ele escreve uma sessão sobre harmonização de queijos e cervejas e inicia com uma polêmica: “Você deve estar pensando que agora estou bem atrás das linhas inimigas, em uma área exclusiva do vinho. De jeito nenhum – queijo, especialmente queijo artesanal de qualidade, é um território bastante familiar da cerveja tradicional.

Segundo Garret o segredinho “safado” do mundo do vinho é que a maioria deles, especialmente os tintos, não combinam bem com queijo. O que ele quer dizer é que fica mais fácil harmonizar com uma bebida de quatro ou mais insumos (água, malte, lúpulo e levedura) que com o vinho, que tem basicamente a uva para se apoiar. É possível harmonizar Cervejas e Queijos tanto por semelhança quanto por contraste. Seguem alguns exemplos de harmonização dados por ele no livro:

Queijo Cheddar Tradicional Inglês: Acidez nítida e sabores frutados, remete à nozes e amêndoas. Harmoniza bem com cervejas amargas como as IPA, que trazem o equilíbrio em função dos lúpulos e o abiscoitado do malte.

Queijo Gouda Envelhecido: Dulçor e um pouco gorduroso, vai bem com a rusticidade e secura de uma Saison.

Queijo Gruyère: Sabor de frutos secos, possui acidez, notas de leite e capim. Harmoniza bem com uma Doppelbock com seu sabor pungente de malte, lembrando frutas passas o que se associa muito bem ao queijo.

Queijo de Cabra Envelhecido: Sabor forte que demanda algum dulçor no palato. Harmoniza muito bem com a condimentada Saison.

Queijo Stilton: Queijo pungentemente salgado, harmoniza perfeitamente com o dulçor maltado de uma Barley Wine.

Queijos frescos como Mascarpone, Stracchino, Teleme, Burrata e Queijo de Cabra Frescos são excelentes com cervejas com adição de frutas!

Nesse sábado dia 13 de abril nosso evento com o Borges Queijos Artesanais contará com tábuas harmonizadas de Queijos feitos no Brasil para você explorar o seu paladar:

Queijo Lua Cheia – Origem Minas Gerais: Bastante cremoso de leite de vaca com cobertura de carvão vegetal (come-se inteiro!). Possui influência dos queijos franceses como o Reblochon.

Nossa harmonização:
• Suricato Ales Berga  – A Berga é uma Gose (cerveja ácida de origem alemã) feita com adição de cascas de bergamota e sal. Com 4% de teor alcoólico e 4 IBU, ela é leve, ácida, salgada e muito refrescante! ABV: 4% IBU: 4
• Narcose White – Uma Belgian Wit (cerveja de trigo belga) com adição de sementes de coentro e raspas de laranja. Cremosa, refrescante e elegante. ABV: 4,5% IBU: 10

Queijo Capim Canastra – Origem Minas Gerais: Premiado como o vigésimo melhor queijo do mundo em concurso na França em 2015. Produzito com 1ueijo de leite cru de vaca de produção bastante limitada (apenas 20 peças por dia!) . Queijo com rusticidade e frescor ao mesmo tempo.

Nossa harmonização:
• 4 Árvores Ipê Amarelo – A Ipê Amarelo é uma cerveja no estilo Saison de origem camponesa, assim como o queijo. É frutada e tem notas de especiarias. Possui mel na receita. Com final seco, complementa muito bem o queijo. ABV: 5,5% IBU 20

• Seasons Green Cow American IPA –  Tida por muitos como a primeira American IPA do Brasil, a multi-premiada Green Cow tem a pungência de amargor das tradicionais IPAs!  ABV: 6,2% IBU: 62

• Irmãos Ferraro Canarinho Session IPA –  Cerveja clara, leve e refrescante, assim como pede o estilo Session India Pale Ale.
Aromas e sabores cítricos, fácil de tomar, pois possui um amargor mais suave. ABV: 4,1% IBU: 30

Queijo Comtè – Queijo com identificação geográfica, começou a ser produzido na França na Idade Média. Este aqui tem origem em MG e é uma homenagem ao queijo francês. Possui notas amendoadas e vai muito bem com cervejas que tenham esse perfil rústico.

Nossa harmonização:
• Old Boys Escarlate American Amber Ale
Cerveja avermelhada de amargor moderado, elaborada com cinco variedades de malte. Apresenta notas de caramelo, frutas vermelhas e toffee muito bem equilibradas com suaves aromas frutados e florais dos lúpulos usados no dry hopping.
ABV: 5% IBU: 33

• Bodoque Pilsen Kazbek – Uma Pilsen leve, com firme amargor e aroma marcante oriundo da utilização de apenas uma variedade de lúpulo por receita, uma técnica conhecida por “Single Hop”. Geralmente utilizada nas IPAs, esta técnica combina com a base simples do estilo e ainda revela todas as nuances de cada uma das variedades utilizadas. Nesta versão a escolha foi pelo Kazbek, lúpulo tcheco com herbal delicado e leve aroma de limão. ABV: 4,9% IBU: 30

Queijo Gorgonzola Picante – Também com origem em Minas Gerais é uma homenagem ao queijo azul italiano, este queijo de leite de vaca é muito macio e sabor impactante do mofo.

Nossa harmonização:
• 4 Árvores Tahoma New England IPA
Tahoma é um lúpulo que possui uma nota cítrica sutil, apresenta aromas que remetem a baunilha, cassis, madeira, com um final floral doce. O sabor segue o aroma de forma agradável e harmoniosa, com um amargor contido é aveludado, assim como o estilo New England IPA, que possui corpo macio. Estilo também é conhecido como Juicy IPA e contrasta de forma harmoniosa com o queijo.

No próximo sábado dia 13/04 esperamos você para provar nossas cervejas e explorar seu paladar com diversos estilos e variedades de queijos! Clique aqui para ver o evento.