O que é o Growler?

item

Descubra mais sobre a história do Growler e suas curiosidades

O mais objetivo seria dizer que um growler é uma garrafa para carregar cerveja. Feita de diversos materiais, a garrafa é fabricada normalmente em um material retornável: vidro ou cerâmica, mas existem também alternativas em PET e aço inox. De vários tamanhos e formatos, a capacidade de armazenamento vai de 0,5 até 5 litros.


Homens e família com growlers na mesa

O growler é usado para carregar a cerveja especialmente fresca, ou seja, não-pasteurizada, direto das cervejarias artesanais ou de locais distribuidores para outro lugar: a nossa casa, a casa de amigos, um passeio ou no churrasco de domingo, por exemplo. É ter em mãos o poder de beber a qualidade e o frescor daquele pint recém tirado da torneira de um pub.


Mas de onde o growler surgiu e porque ele tem este nome?

A cerveja não vem em garrafa de tampinha ou numa lata? Na verdade não, os processos atuais de envase em larga escala são relativamente recentes. A refrigeração em escala comercial, o engarrafamento automático, a pasteurização e a distribuição nacional por trens só aconteceram no final do século XIX. O surgimento da lata de alumínio foi mais tarde ainda, em 1935. Ou seja, por muito tempo desde que o homem produz cerveja, há pelo menos sete mil anos, a sua produção e consumo eram restritos à zona ao redor de onde a cerveja era produzida; o transporte da cerveja ia até onde ela se mantivesse boa, sem estragar.


Exemplos e tipos de growlers

Este transporte era feito normalmente em recipientes comuns do dia-a-dia: baldes, canecas, jarros e frascos, mas principalmente em pequenos baldes de aço galvanizado com tampa. Uma das possíveis origens para o termo “growler” que usamos hoje, pode ter surgido do som que o gás carbônico fazia ao escapar pela tampa destes baldes, enquanto a cerveja balançava dentro. O som que parecia um rosnado ou um resmungo, em inglês se traduz para o verbo to growl: rosnar, resmungar, rugir, roncar. Outra teoria diz que costumava-se encher o balde galvanizado com um quarto de galão, o equivalente à medida de dois pints, porém, como o pint em si ainda não era considerado uma medida padrão frequentemente discutia-se por causa da quantidade de cerveja que deveria ser servida e por vezes, os clientes reclamavam resmungando e rosnando.


fotos com meninos e homem entregando e segurando growlers

Mesmo tendo quase desaparecido durante os anos da Lei Seca na década de 20, o growler continuou sendo muito usado até o início da Segunda Guerra. Nesta época, crianças  costumavam levar os baldes cheios de cerveja para os trabalhadores em horário de almoço nas fábricas vizinhas ou para os próprios pais no jantar. Esta prática ficou conhecida como “rushing the growler”, em alusão à expressão “chasing the duck” usada em caçadas quando o cão dispara para buscar o pato recém abatido.


imagens com propagandas antigas sobre growler

Nos anos 50 e 60,

caixas de papelão enceradas e com tampas eram usadas para levar a cerveja para casa, substituindo os antigos baldes e jarros. Diz-se que lembravam uma combinação entre caixinha de leite e embalagem take-away de comida chinesa. Como em muitos estados americanos era ilegal que as lojas de bebidas alcólicas ficassem abertas aos domingos, para beber cerveja era necessário ir a um bar e comprar a tal caixa. Porém no final dos anos 60 tornou-se permitido vender cerveja já engarrafada depois do horário comercial e muitos bares acabaram trocando a caixa de papelão por embalagens plásticas pois estas podiam ser enchidas com antecedência. Logo o conceito do growler perdeu sentido e deixou de ser usado.


Em 1989, o proprietário da primeira microcervejaria “draft-only” de Wyoming nos Estados Unidos, Charle Otto, queria comercializar a cerveja que estava produzindo apesar de ainda não ter condições de engarrafá-las. O pai de Charle sugeriu algo que conhecia da sua juventude: growlers. Imaginando atualizar a cara deste meio de transportar cerveja fresca, compraram um máquina de serigrafar e imprimiram a marca da cervejaria em garrafas de vidro de meio-galão. Criaram ali, o growler que conhecemos hoje.

 

Growlers cheios a todos e até o próximo gole!

www.oresmungao.com.br